Este espaço é dos alunos da turma D do 11º ano da Escola Secundária de Emídio Navarro em Viseu e está inserido na disciplina de Física e Química A. Nele se escreverá sobre assuntos relacionados com a Física e com a Química, mas não só.

30
Jan 09

As fibras ópticas

 

     Funcionamento das fibras ópticas

 

 

A fibra óptica é um filamento na sua maioria das vezes constituído por vidro. Estes filamentos poderão apresentar várias dimensões dependendo da aplicação prática.

No entanto, a transmissão de luz baseia-se sempre nos mesmos princípios: de início é emitido um feixe de luz por uma das extremidades da fibra óptica e esse feixe de luz segue progredindo ao longo da mesma por sucessivas reflexões quer a fibra apresente ou não um aspecto curvilíneo.

A fibra óptica é constituída por uma camada interna, o núcleo, e por uma camada externa conhecida como revestimento. Para que ocorra o fenómeno de reflexão total o índice de refracção no núcleo tem que ser superior ao do revestimento, tendo o feixe de luz que incidir segundo um ângulo superior ao ângulo limite.

Graças ao conjunto de todas estas condições pode-se evitar a perda de informação permitindo que a mesma se propague ao longo de inúmeros quilómetros.

É ainda de salientar que estas fibras são geralmente feitas de vidro porque é um material que não absorve tanto as ondas electromagnéticas, pois caso contrário a fibra óptica perderia todo o seu efeito.

 

 

 

 

 

Aplicações da Fibra Óptica na Medicina

As fibras ópticas têm desempenhado um papel importante no avanço da medicina desde as aplicações pioneiras do Fiberscope, onde um feixe de fibras de vidro era utilizado para uma identificação pormenorizada de um órgão no interior do corpo humano. Hoje em dia, tem-se uma variedade de aplicações por sistemas de sensores com fibras ópticas em diagnóstico e cirurgia, dos quais se destacam:

                                                           NUCLEOPLASTIA           

Sensores de temperatura: têm sido utilizados, por exemplo, em terapia radiológica de tumores cancerígenos, detectados através de exames tais como colonoscopias, endoscopias etc.

 

 

            COLONOSCOPIA                                                                            

Sensores de pressão: utilizados para controlar a pressão intracraniana, cardiovascular, uretral ou rectal.                                                                                     

Sensores magnéticos: permitem obter a localização dos campos magnéticos gerados pelo cérebro, útil no tratamento de ataques de epilepsia;

                                                                                    Sensores de pH: utilizados para controlar o nível de oxigénio do sangue, permitindo, por exemplo, visualizar a reacção do feto numa cirurgia cesariana.

Sensores de vazão: utilizados para controlar a perda sanguínea em cirurgias vasculares ou plásticas ou para avaliar grau de queimaduras com precisão.

Além dos sensores acima descritos, as fibras ópticas têm sido utilizadas como instrumentos cirúrgicos, controlando com precisão a limpeza de artérias cardiovasculares ou a destruição de tumores.

     Ainda é de referir que grandes hospitais optam pela utilização de fibras ópticas de forma a possibilitar a comunicação entre os diferentes departamentos, não esquecendo igualmente, o papel importante que têm ao evitar interferências electromagnéticas dos equipamentos de alta tensão como os raio-X.       

 

 

                                www.lucalm.hpg.ig.com.br/mat_esp/aplic_med/medicina

                    www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/fibra-optica

 

 

 

publicado por Stefano às 19:17

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO